Your browser (Internet Explorer 6) is out of date. It has known security flaws and may not display all features of this and other websites. Learn how to update your browser.
X
Post

William Shakespeare: The Bard of Avon.

shakespeare

Shakespeare is considered the greatest writer and poet of English language. He not only wrote plays and poetry, but was also an actor. William Shakespeare was born in April 1564 in Stratford – Upon – Avon. Although his works were written in the sixteenth century, Shakespeare’s work continues to have a huge impact on the public, one example of this is the large number of words he introduced into the English Language.

Shakespeare wrote more than 30 plays. These are usually divided into 4 categories: History, Comedy, Romance and Tragedy. The earliest pieces that Shakespeare wrote were Comedies and Histories. In 1596 he wrote the famous Romeo and Juliet, his second Tragedy. In the years that followed Shakespeare created his best known works: Julius Caesar, Hamlet, Othello, King Lear, Macbeth and Antony and Cleopatra. “The Tempest” was the last piece Shakespeare wrote.
I’ve read several of Shakespeare’s pieces. Each one of them has had a different impact on me, but my favourite so far is Macbeth.

witchesMacbeth was written by William in 1606.Macbeth returns from a military victory when he encounters three mysterious witches who predict his future, saying that one day he will be the King of Scotland. Motivated by the ambition and insistence of his wife, he kills King Duncan and takes the throne. He becomes a tyrant leader and commits murders to protect himself, which keep his hands stained with blood, and which leads him to the edge of madness. And to death.

I left a link to one of my favourite adaptations. I hope you like it. Kisses.

 

Post

Feliz ano novo:)

Feliz ano novo:) O ano novo começa e novos objetivos se levantam. Peguem nas vossas armas, recarreguem os vossos sonhos, rescrevam novo objetivos, vigiem, mantenham o foco, livrem se do que é pequeno, do que distrai, do que não produz crescimento, do que não é prioridade….

Neste primeiro poste de 2017 escuta bem, quero apenas te dizer que tu és um ser único, cada um de nós é um ser único capaz de oferecer e produzir algo único que mais ninguém tem.

Nunca aceites que alguém diga que não és capaz de isto ou daquilo, que consegues alcançar este ou aquele objetivo, que podes ou não fazer, porque a verdade é que somos filhos do Rei, do senhor do impossível. Nada é impossível para ELE. Pois antes que houvesse dia, ELE é e ninguém há que possa escoar fendias mãos…Agindo Deus na tua vida que o impedirá?

Acima de tudo é importante acreditarmos em nós mesmos e visualizarmos os nosso sonhos , pois Deus tem grandes coisas guardadas para cada um de nós. Acredita, tem fé, trabalha e desfruta da jornada. Desejo a todos um 2017 cheio de bênçãos.

image1 (1)

Post

Kara Walker: “A Subtlety, or the Marvelous Sugar Baby”

I am in the USA, studying towards a Bachelor of Fine Arts Degree in Los Angeles. It is a fairly comprehensive course, in which several subjects are covered including: Film Studies; Acting; Health; Communication; Production; History of the Arts; Scenic Studies; American Culture; and even the English Language.

IMG_8506During my stay both in New York or Los Angeles, whenever I have the opportunity, I try to attend cultural events. In New York or Los Angeles these are never lacking!

One my interests is definitely visiting Museums. A visit to a Museum is always an excellent opportunity to appreciate, to understand, and even evoke our capacity to get lost in Art, through thoughts, feelings and emotions. This process is experienced in different ways, by each person, or group of people, which visits the space and appreciate the works.

It was on one of these visits that I discovered the work of Kara Walker.

Kara Walker is an African-American artist who has created and used her art to enhance African culture and to fight for various causes. Her work stands against racism, and calls for the respect of women, and the end of all forms of violence against women, who can still be seen as weaker and disadvantaged. She has sought to enlighten us with her Art, showing the inequalities that persist in our present society. Inequalities that can divide people and change their circumstances.

IMG_8505Reading about Kara Walker was very enriching, but being present in her Exhibition and seeing the power of the message in her Art, was beyond my expectations. It was a unique experience, only possible to feel standing there in its presence.

Kara Walker’s work is very complex and presents several layers, full of symbolism. This forces the public to spend more time observing the pieces, which ranged from drawings of different sizes, to the sculptures designed in sugar and caramel. I did notice that, when in direct contact with her work, some people just wanted to look at the pieces for enjoyment. They were not necessarily interested in understanding the depth of the message behind the piece.

Unfortunately, this is a tendency which is becoming quite prominent in our contemporary societies. People prefer to think that it is much simpler to ignore the problems that have created the reality we have today.

Life is full of unique and beautiful moments, but on the other hand there are also cruel moments, where only the hand of God can free us from the evil and bring peace. We all need to fight for worthy causes, and to help solve the problems that afflict others. I hope that you feel this need the next time you visit a Art Exhibition.

Imagem

Kara Walker: “A Subtlety, or the Marvelous Sugar Baby”

Como é do conhecimento de muitos, por questões académicas tenho encontro-me em fase de conclusão da licenciatura num Curso debelas Artes (Fine Arts), em Los Angeles. É um curso bastante abrangente no qual são abordados vários temas desde o Cinema, Representação, Saúde, Produção, Historia das Artes, Estudos Cénicos, cultura americana, e a proporia Língua Inglesa.

IMG_8506Durante a minha estadia, quer em Nova Iorque ou Los Angeles, sempre que tenho a oportunidade, tento frequentar algum evento cultural. Em Nova Iorque e Los Angeles há sempre muita escolha!

Um dos meus interesses específicos é visitar Museus. Uma visita a um Museu é sempre uma excelente oportunidade para apreciar, para compreender, e até para evocar a nossa capacidade de “ficar perdido” na Arte, através de pensamentos, de sentimentos e emoções. Este processo é diferente para cada pessoa, ou até para cada grupo, que visita um espaço e aprecia as obras. Foi numa destas visitas que descobri as obras de Kara Walker.

Kara Walker é uma Artista Afro-americana que tem criado e usado a sua Arte para elevar a Cultura Africana, e para lutar por diversas causas. Os seus trabalhos lutam contra o racismo e apelam ao respeito pelas mulheres. E também ao fim de todas as formas de violência contra as mulheres, que ainda podem ser vistas como “fracas e desfavorecidas”. Ela tem procurado iluminar as nossas atitudes com a sua Arte, mostrando as desigualdades que existem na nossa sociedade contemporânea. Desigualdades que podem dividir pessoas e mudar as suas circunstâncias.

IMG_8505Ler sobre o trabalho de Kara Walker é enriquecedor, mas estar presente na sua Exibição, e ver a força da mensagem na sua Arte, foi para além das minhas expectativas.

 

Foi uma experiencia única, que apenas pude sentir estando na presença das obras.

O trabalho de Kara Walker é bastante complexo, e apresenta vários estratos, todos cheios de simbolismo. Isto obriga o público a despender mais tempo observando as obras, que variaram desde desenhos (de vários tamanhos), até esculturas feitas com açúcar e caramelo.

Observei que, quando em contacto direto com o seu trabalho, algumas pessoas só olhavam para estas pelo prazer. Não estavam necessariamente interessados em compreender a profundidade da mensagem “por detrás” das obras. Infelizmente isto é uma tendência que está se tornando cada vez mais saliente nas nossas sociedades contemporâneas. As pessoas preferem pensar que é mais simples ignorar os problemas que criariam a realidade que temos atualmente.

A vida está repleta de momentos lindos e únicos, mas também de momentos cruéis, onde apenas a mão de Deus pode livrar da maldade e restaurar a paz. Nós todos temos de lutar por causas dignas, e ajudar a resolver os problemas que afligem os outros. Espero que sinta essa necessidade da próxima vez que visite uma Exibição de Arte.

Post

Happy Valentines Day.

valentines1

Post

Feliz Dia de São Valentim.

valentines1

Post

We will be back soon.

backsoon5

Post

Regressámos dentro de breve.

backsoon5

Nota

Reis and Nobre on Stage: “A Tale of Endless Love”

What is it like to be on stage? You feel butterflies in your stomach, your hands become clammy and your mouth dries. Performance anxiety hits as you wait for the curtain to rise. The lights dim, the audience goes quieter. The curtains begin to rise and suddenly it is time. The audience waits, you ease into the lines you have rehearsed over and over, you respond to, and anticipate your fellow actors, and you watch the reaction of audience through the corner of your eye. Scene follows scene and, all too quickly, it is time for curtain fall, you wait the applause of the audience hoping that it will be hearty, not merely courteous. And suddenly it is over.

While all the Arts and Humanities attempt to comment on various aspects of Human Existence, Theatre is of special interest to me because in it one of the aspects which defines us as a species, our tendency to be “story telling animals” is particularly salient. When Shakespeare wrote “All the world’s a stage, And all the men and women merely players”, he made a statement which seems quite simple but which can be interpreted on many different levels. I discovered some of these levels on my first voyage into the world of Theatre, as an Actor in the Play “História de Amor Sem Fim”, (“A Tale of Endless Love”), alongside the great Actor Fernando Nobre.

While I have acted before for television, my first Acting experience on stage was, as they say a “completely different animal”. In television a performance can be, schedule permitting, repeated. Details can be tweaked. The end product may be “polished” through various production techniques. None of these safeguards exist on stage. There is little room for mistakes, and any mistake made must be corrected, or compensated for, immediately. This is yet one more way in which Life can imitate Art. In both Art and Life you may never get a second chance to make a good first impression. You always have to think on your feet.

Another reason why I am quickly developing an appreciation for Theatre is because, contrary to much of what appears on Television, a good Play is never meant to be mere entertainment. There is always an attempt to explore philosophical ideas and to present these by telling a story. Drawing from texts by William Shakespeare and Fernando Pessoa, the Play “História de Amor Sem Fim” brought together Music, Dance and Fashion. Some scenes summoned tears, while others produced laughter. Throughout the whole Play however, there was an underlying theme: “Love each other”, always a good message to share.

Did you get a chance to see the Play when Fernando Nobre and I performed in Lobito? Drop us a line or leave a comment. Tell us what you thought about my first Play!

Nota

Reis e Nobre em Palco: “Uma História de Amor Sem Fim”

Qual é a sensação de estar em palco? Sentimos borboletas no estômago, as mãos tornam – se húmidas, a boca fica seca. A ansiedade do desempenho, de fazer um bom trabalho ataca enquanto esperamos o subir da cortina. As luzes diminuem, e o público fica mais silencioso. As cortinas começam a subir e, de repente, chegou a hora. O público espera, você interpreta o texto que veio a ensaiar e decorar. Respondemos e antecipamos os nossos colegas, olhamos a reação do público. Cena segue – se a cena, e subitamente, chegou a hora da cortina começar a descer. Esperamos o aplauso do público, na esperança que seja um aplauso saudável, e não apenas cortês. E de repente a peça acabou.

Enquanto todas as Artes e Humanidades tentam comentar sobre os vários aspetos da existência humana, o Teatro é de especial interesse para mim. No Teatro um dos aspetos que nos define como espécie, a nossa tendência de ser “um animal que conta histórias” é particularmente aparente. Quando Shakespeare escreveu que “Todo o mundo é um palco, e todos os homens e mulheres meros atores”, ele fez uma afirmação que parece bastante simples, mas que pode ser interpretado em muitos níveis diferentes. Descobri alguns destes níveis na minha primeira viagem ao mundo do Teatro, como Atriz na peça “História de Amor Sem Fim”, ao lado do grande ator Fernando Nobre.

Embora eu já tinha representado antes para a televisão, a minha primeira experiência representando ao vivo, no palco foi, como dizem “um animal completamente diferente”. Na televisão um desempenho pode ser, se a agenda o permitir, repetida. Os detalhes podem ser alterados. O produto final pode ser “polido” através de várias técnicas de produção. Nenhuma dessas garantias e salvaguardas existem no palco. Há pouco espaço para errar, e qualquer erro cometido deve ser corrigido, ou compensado, imediatamente. Isso é uma forma pela qual a vida pode imitar a arte. Em ambos Arte e Vida poderemos nunca chegar a ter uma segunda hipótese de fazer uma boa primeira impressão. Você estar sempre em alerta.

Outra razão pela qual estou rapidamente desenvolvendo uma forte apreciação pelo Teatro é porque, ao contrário de muito do que aparece na televisão, uma boa peça de Teatro nunca tem o intuito de ser apenas lúdica.

Há sempre uma tentativa de explorar ideias filosóficas e apresentar estas através do contar de uma história. Baseando – se em textos de William Shakespeare e Fernando Pessoa, a peça “História de Amor Sem Fim” reuniu música, dança e moda. Algumas das cenas convocam as suas lágrimas, enquanto outras produzem gargalhadas de riso. Ao longo de toda a peça no entanto, houve um tema subjacente: “Amar uns aos outros”, o que é sempre uma boa mensagem de compartilhar.

Você por acaso teve a hipótese de ver esta Peça quando Fernando Nobre e eu a representamos em Lobito? Deixe-nos uma mensagem ou um comentário acerca do que viu. Diga-nos o que você pensa sobre a minha primeira Peça de Teatro!