Your browser (Internet Explorer 6) is out of date. It has known security flaws and may not display all features of this and other websites. Learn how to update your browser.
X

Archive for Junho, 2012

Nota

Angolan Culture and Customs: Part 2 – Chockwe Masks and Sculpture.

Hi again everyone! Let us continue our exploration of Angolan Art by examining the influence of the Chockwe. The Chokwe kingdom rose to power during the late nineteenth century, primarily because of the profitable trade of ivory, wax, and rubber with the Portuguese. Besides providing wealth, these same raw materials were used by the Chockwe to create functional artifacts which were in turn, transformed these into prestige objects. The importance of their influence can be seen in the fact that:  Chockwe Art is much sought the world over and; other ethnic groups in Angola have been greatly influenced by Chokwe art. Two types of objects particularly representative of the Chockwe approach to Art are Masks and Sculpture.

Chockwe Masks

Mask carving is one of the most popular forms of traditional art in Angola. Angolan Masks are of various types and come in different shapes, sizes, and artistic quality. Masks are often carved out of wood, bronze, and other metals, and they usually represent the spirit of lineage, clan, or family ancestors; deities; mythological figures; and even animals.

Masks are not intended to be decorative; they were believed to possess great magical powers and, therefore, could only be worn by designated people, often men, after a proper initiation or induction rite had been performed. The wearer of the mask was believed to be in communion with the spirit world of deities and departed ancestors represented by the mask. The masks were then used in initiation ceremonies such as healing, circumcision, fertility, and puberty rites.

Some of the best known examples of Chokwe Masks are the Mask of Mwana Pwo and the Mask of Chihongo. The Mask of Mwana Pwo (the young maiden), represents the female ancestor. This mask is used in puberty and fertility rituals. It is traditionally worn by male dancers dressed like women and sporting false breasts. The wooden mask has a facial appearance depicting deceased person. Its facial scarification is a symbol of the pain of death, as Mwana Pwo was said to have died young. The mask is adorned with beads, forehead cruciforms, woven headpieces, and other ornaments. Although the Chokwe ritual is performed by men, its mask is regarded as an embodiment of feminine beauty, which bestows fertility on women and prosperity on the people in general.

The male companion of Mwana Pwo is the Mask of Cihongo (spirit of wealth). The Cihongo mask is different from its female Pwo counterpart. Rather than a gaunt expression characteristic of the Pwo mask, Cihongo sports a fierce expression with wide mouth, elaborately painted white teeth, and exaggerated horizontal beard. This mask, which is carved from wood, and worn exclusively by a chief or his sons, represents age, wealth, and chiefly power and authority.

Chocke masks depict not only human faces. There are also masks that depict various animals. Animal masks are quite popular because animals often feature in the mythology of many Angolan groups. Antelope, buffalo, elephant, zebra, monkey, leopard, rhino, pig, baboon, snake, and lizard masks are common. These masks, carved primarily in wood and sometimes in metal, are beautiful pieces of art which also served primarily as ritual objects in different kinds of ceremonies, such as initiation rites.

This shows that traditional arts and crafts of Angola have historical links to the culture of its people. Art did not exist merely for aesthetic value. Art was sacred. It was an integral part of ritual performances and other traditional ceremonies and festivals. In modern Angola, a new emphasis placed on the aesthetic value of Art. Art has become become the object of museum and gallery exhibits.

Chockwe Sculpture

The Chokwe are particularly adept sculptors who have produced some of the most famous sculptures as well as ornate carvings of everyday objects. Such statues are usually carved in solid wood and sometimes adorned with decorative metal. Typical examples include statues of royal figures such as kings, queens, and nobles; powerful warriors, hunters, and healers; musicians and ceremonial dancers; ancestors and deities; and mythical beings.

Another testament to the importance of the Chockwe influence on Angolan art is the Chokwe statue the “Thinker” (“Pensador” in Portuguese). The Thinker is one of the most beautiful pieces of Chokwe origin one of the oldest artifacts in Angola. It represents all Angolans by being a symbol of national culture. The statue is can be seen as either man or a woman and depicts wisdom and knowledge. It is carved in a bent posture, hands on head and legs crossed, a posture symbolizing reflection.

In addition to statues of humans, carvings of court items and paraphernalia depict the glory, dignity, and pomp of royalty. In traditional precolonial societies, sculpture exclusively done by professional carvers known as the songi, who often worked exclusively for the court and other prominent chieftaincies. They are noted for many royal carvings including chairs, stools, decorated thrones, ceremonial staffs, spears, and scepters.

Nota

Cultura e Costumes de Angola: 2ª Parte – Mascaras e Esculturas Côkwe

Olá de novo a todos! Vamos continuar nossa exploração da Arte Angolana, examinando a influência Côkwe. O reino Côkwe subiu ao poder durante o século XIX, principalmente por causa do lucrativo comércio de marfim, cera, borracha com os Portugueses. Além de proporcionar riqueza, essas mesmas matérias-primas foram usados ​​pelos Côkwe para criar artefactos funcionais que depois eram transformados em objectos de prestígio. A importância de influência Côkwe pode ser visto nos seguintes factos: Arte Côkwe é muito procurado em todo o mundo e; muitos outros grupos étnicos em Angola foram fortemente influenciados pela arte Côkwe. Dois tipos de objectos de Arte que são particularmente representativos da abordagem Côkwe são as máscaras e esculturas.

Máscaras Côkwe

O esculpir de Máscaras é uma das mais populares formas de arte tradicional em Angola. Máscaras Angolanas são de vários tipos e de diferentes formas, tamanhos e qualidade artística. As máscaras são muitas vezes esculpidas em madeira, bronze e outros metais, e geralmente representam a ideia de descendência, clã ou antepassados ​​da família; divindades; figuras mitológicas, e até mesmo animais.

Estas máscaras não se destinam a serem meramente decorativas. Acreditava-se que possuíam grandes poderes mágicos e, portanto, deviam apenas ser usadas por pessoas designadas, normalmente homens, após uma iniciação adequada ou rito de indução, ter sido realizada. Acreditava-se que o portador da máscara estava em comunhão com o mundo espiritual das divindades e antepassados ​​falecidos representados pela máscara. As máscaras eram então usadas em cerimônias de iniciação, como cura, a circuncisão, fertilidade e os ritos da puberdade.

Alguns dos exemplos mais conhecidos de Máscaras Chokwe são a Máscara de Mwana Pwo e a Mascara de Chihongo. A Máscara de Mwana Pwo (a jovem solteira) representa o ancestral feminino. Esta máscara era usada em rituais de puberdade e fertilidade. Tradicionalmente era usado por bailarinos vestidos como mulheres e com seios falsos. A máscara de madeira tem uma aparência facial que representa uma pessoa falecida. Sua escarificação facial é um símbolo da dor da morte, porque Mwana Pwo foi dita ter morrido jovem. A máscara é adornada com pérolas, cruzes na testa, e outros ornamentos. Embora o ritual Côkwe fosse realizada por homens, a sua Máscara era considerada como uma encarnação da beleza feminina, que concedia a fertilidade ás mulheres e a prosperidade ao povo em geral.

O companheiro de Mwana Pwo é a Máscara de Cihongo (espírito da riqueza). A máscara Cihongo é bastante differente. Ao contrário da característica expressão quase esquelética da máscara Pwo, a mascara Cihongo ostenta uma expressão feroz com boca larga, elaborados dentes brancos pintados, e barba horizontal exagerado. Esta máscara, que é esculpida em madeira, e usado exclusivamente por um chefe ou os seus filhos. A Máscara representa a idade, riqueza e, principalmente, poder e autoridade.

As máscaras Côkwe não representam apenas rostos humanos. Há também várias máscaras que retratam animais. As máscaras de animais são bastante populares porque os animais frequentemente tem um lugar de destaque na mitologia de muitos grupos angolanos. Mascaras retratando antílopes, búfalos, elefantes, zebras, macacos, leopardos, porcos, rinocerontes, babuínos, cobras, lagartos são comuns. Estas máscaras, esculpidas em madeira e em metal, são belas peças de arte que, também serviam principalmente, como objectos rituais em diferentes tipos de cerimônias, tais como ritos de iniciação.

Isto mostra que as artes e ofícios tradicionais de Angola têm relações históricas com a cultura de seu povo. A Arte não existia apenas para o valor estético. A arte era sagrada. Foi parte integrante dos rituais e outras cerimônias tradicionais e festivais. Na Angola moderna, uma nova ênfase esta sendo colocada sobre o valor estético da arte. Arte tornou-se objecto de museu e exposições de galeria.

Escultura Côkwe

O Côkwe são escultores particularmente adeptos, que produziram algumas das esculturas mais famosas, assim como objectos cotidianos ornamentados. Essas estátuas são normalmente esculpidas em madeira maciça e por vezes adornados com metais decorativos. Exemplos típicos incluem estátuas de figuras reais, tais como reis, rainhas e nobres; poderosos guerreiros; caçadores e curandeiros; músicos e dançarinos; ancestrais e divindades; e seres míticos.

Outra prova da importância da influência Côkwe sobre arte angolana é o caso particular da estátua ” o Pensador“. O Pensador é uma das mais belas peças Côkwe, e um dos mais antigos artefactos de Angola. Ela representa todos os angolanos, sendo um símbolo da sua cultura nacional. A estátua pode ser vista como um homem ou uma mulher e representa a sabedoria e conhecimento. É esculpida numa posição de flexão, mãos na cabeça e as pernas cruzadas, simbolizando uma postura de reflexão.

Além das estátuas humanas, a arte Côkwe também contém diversas esculturas que retratam a glória, dignidade e pompa da realeza. Em sociedades tradicionais pré-coloniais, a escultura era uma actividade exclusiva dos escultores profissionais conhecidos como o Songi, que muitas vezes trabalhavam exclusivamente para realeza e outras chefias proeminentes. Eles são conhecidos por muitas obras reais, incluindo cadeiras, bancos, tronos decorados, equipes de cerimoniais, lanças, e cetros.

Nota

Angolan Culture and Customs: Part 1 – An Introduction

Africa is huge. As the second largest continent, it is four times the size of the United States (excluding Alaska). Angola, in turn is also large, the seventh largest country in Africa. At about twice the size of the state of Texas, it covers more than 481,354 square miles spread across coastal lowlands, hills and mountains, and the great plateau. Angola is home to approximately 100 ethno – linguistic groups. The most prominent of these groups are the Ovimbundu, the Mbundu, the Bakongo, the Nganguela (Ganguela), and the Lunda-Chokwe. From such a large melting pot,and so many influences, it is only natural to expect much diversity in culture. Angola doesn’t disappoint!

Join me as I share with you my “unofficial guide” to the culture and customs of Angola. Over several installments I will deal with a distinct aspect of Angolan Culture: Art; Literature; Cuisine; Religion; Customs and Music.

To begin an exploration of Angola´s culture and customs we need look no further than Luanda, Angola’s largest city and main social and cultural center.

The sensuous dance, Semba, was born here. Semba gets its name from “Masemba”, meaning “a touch of the bellies”, the motion that characterizes this type of dancing. Semba music is capable of conveying a broad spectrum of emotions and, therefore is heard at a wide variety of Angolan social gatherings. In the late 80s producers began to mix traditional carnival music like zouk and soca from the Caribbean and semba around a fast beat, producing the “Kuduro” style. A very popular example of this style of music is the popular “Danza Kuduro” music video (by Lucenzo and Don Omar ) on YouTube,  which has over 300 million views! Perhaps you have seen it too?

Luanda´s cultural importance doesn’t end with music though.  It has much, much more to offer! Visitors can view impressive collections of African arts especially Chokwe masks and sculptures. To me Chokwe masks are particularly interesting. They symbolize various ancestral beliefs and were used during rites of passage circumcisions, fertility and puberty rites. Chokwe art much appreciated in many western countries and is often found on display in major art museums and galleries in Europe, the United States, and Japan.  In Luanda such pieces can be viewed are the Humbi-Humbi Gallery and; the Museu Nacional de Antropologia (National Anthropology Museum).

Other galleries in the city are Galeria Cenarius, Espelho da Moda, and Galeria SOSO-Arte Contemporânea. The Museu do Dundo (Dundo Museum), in the northeastern province of Lunda Norte, has been in existence since the colonial era. It houses one of the finest collections of Chokwe art found anywhere in the world. More contemporary museums located in Luanda include the Museu de Angola (Museum of Angola), the Centro Cultural Português (Portuguese Cultural Center), the Museu Nacional de História Natural (National Museum of Natural History), and the Military Museum (housed in a historic fortress).  Another popular museum, not dealing specifically with Art, is the Museu da Escravatura (Museum of Slavery). This museum, supposedly located at the very place where African captives were kept before being shipped to New World! The museum preserves the unfortunate history of the Atlantic slave trade on the Angolan coast.

In January 2005 the Minister of Culture, Boaventura Cardoso, called for special attention to the restoration of monuments and historic sites in Angola. This will ensure that Angola’s culture and customs will thus not be forgotten.

Join me soon, for Part 2 in which I will delve more deeply into Angolan Art and Architecture, focusing primarily on Chokwe influences.

Nota

Cultura e Costumes de Angola: 1ª Parte – Uma Introdução

África é enorme. Sendo o segundo maior continente, é quatro vezes o tamanho dos Estados Unidos (excluindo) o Alasca. Angola, por sua vez, também é grande, sendo a sétimo maior pais em África. Com cerca de duas vezes o tamanho do estado do Texas, tem uma expansão de mais que 481,354 milhas quadradas, espalhadas por planícies costeiras, colinas e montanhas e, o grande planalto. Angola é o lar de cerca de 100 etno – linguísticos grupos. Os mais proeminentes destes grupos são os Ovimbundu, os Mbundu, Bakongo, o Nganguela (Ganguela), e os Lunda-Côkwe. De um caldeirão tao grande, e de tantas influências, é natural esperar muita diversidade na cultura. Angola não decepcioná!

Venha comigo enquanto partilho a minha “guia não-oficial” da Cultura e Costumes de Angola. Em cada secção vou lidar com um aspecto distinto da Cultura de Angola: Arte, Literatura, Cozinha, Religião, Costumes e Música.

Para começar uma exploração da Cultura e os Costumes de Angola não necessitamos ir mais longe do que Luanda, a maior cidade, e principal centro social e cultural, de Angola.

A dança sensual, Semba, nasceu aqui. Semba derivou o seu nome de “Masemba”, que significa “um toque das barrigas”, um movimento que caracteriza este tipo de dança. Música Semba consegue transmitir um amplo espectro de emoções e, portanto, está presente numa grande variedade de acontecimentos sociais angolanos.

No final dos anos 80 os produtores começaram a misturar a música de carnaval tradicional como zouk e soca do Caribe, e semba em torno de uma batida rápida, produzindo o estilo “Kuduro“. Um exemplo muito popular deste estilo de música é o popular vídeo de música “Danza Kuduro“, (de Lucenzo e Don Omar), disponível no YouTube. Este já tem mais de 300 milhões de visualizações! Talvez também já viu?

A importância cultural de Luanda não se resume á com a música. Tem muito, muito mais para oferecer! Os visitantes podem ver impressionantes coleções de arte africana, especialmente as máscaras e esculturas Côkwe. Para mim, as máscaras Côkwe são particularmente interessantes. Elas simbolizam várias crenças ancestrais e foram usados durante os ritos de passagem circuncisões, fertilidade e os ritos da puberdade. A Arte Côkwe é muito apreciada em muitos países ocidentais. É frequentemente encontrada em exposição nos museus, e galerias de arte, mais importantes da Europa, Estados Unidos e Japão. Em Luanda tais peças podem ser vistos na Galeria Humbi-Humbi e no Museu Nacional de Antropologia.

Outras galerias da cidade são a Galeria Cenarius; o Espelho da Moda, e a Galeria SOSO-Arte Contemporânea. Existindo desde a era colonial, o Museu do Dundo, na província da Lunda do Norte, abriga uma das melhores colecções de Arte Chokwe do mundo. Mais museus contemporâneos localizados em Luanda incluem o Museu de Angola, o Centro Cultural Português, o Museu Nacional de História Natural, e o Museu Militar (alojado num histórico fortaleza). Outro museu popular, que não trata especificamente da arte, é o Museu da Escravatura. Este museu está supostamente localizada no local onde eram mantidos cativos os africanos antes de serem enviados para Novo Mundo! O museu preserva a infeliz história do tráfico atlântico de escravos na costa angolana.

Em Janeiro de 2005, o Ministro da Cultura, Boaventura Cardoso, pediu atenção especial para a restauração dos monumentos e locais históricos de Angola. Isso irá garantir que a cultura e costumes de Angola, não vão ser esquecidos.

Na 2ª Parte vou mergulhar mais profundamente na Arte e Arquitetura Angolana, focando principalmente a influências Côkwe. Posso contar consigo?

Nota

The 65th Cannes Film Festival: A view from the Red Carpet.

The aim of the Cannes International Film Festival is to discover new talents, to promote all types of films and, to develop collaboration among filmmakers. It seeks to improve film industry worldwide and celebrates cinema as “an Art form”.

The Cannes Festival owes much of its current format to its President Gilles Jacob. Throughout the throughout the 1950´s the Festival was becoming gradually more popular due to the attendance of celebrities such as Kirk Douglas, Sophia Loren, Grace Kelly, Brigitte Bardot and Cary Grant. In 1978 Jacob wisely began to exploit this tendency as a way of revolutionizing the Festival’s format. At the same time he introduced two important components: the Caméra d’Or award and the Un Certain Regard section. The Caméra d’Or is given for the best first feature film, a film the quality of which suggests that its Director should be encouraged to make another. The Prix Un Certain Regard recognizes young talent and innovative, audacious works. In 1995 Jacob created the Cinéfondation, to inspire and support the next generation of international filmmakers and to facilitate entry of new talents in all areas of filmmaking.

2012 marks the 65th Edition of the Cannes International Film Festival! Today the Festival hosts over 40 filmmaking countries, giving each the chance to showcase the richness of their cinema. The Festival’s activities can be followed online in French, English, Spanish, Portuguese, Chinese, Japanese, Arabic and Russian.

Perhaps the best way to appreciate the Festival´s “flavour” and, to understand how it operates today, is to recognize that it caters to many interests and has many “autonomous parts”. The Cannes Film Festival is about all aspects of Film: Film in Competition, Films which are not competing, events that focus on several aspects of “film as Art” and, the Marché (the world´s largest film market).

In a typical Festival you can find you will find more than 60 films in competition. 20 films strive to obtain the coveted Palme d’Or – the Golden Palm for the Festival´s Best film, a further 20 compete for Prix Un Certain Regard, about 15 short and medium student films will be selected from film schools across the world and compete for inclusion in the Cinéfondation. Approximately 10 films compete for the Short Film Palme d’Or. There is even the Palm Dog! This independent award is presented for the best canine performance (live or animated), given this year to Banjo and Poppy for the film Sightseers.

Parallel to the screening of all the films in competition, there are also screenings of films that are not competing but have artistic value. Here we can find Special Screenings (chosen by a committee and displayed in locations appropriate to the identity / content of the respective film); Cannes Classics (tributes and documentaries focusing on cinema); Tous les Cinémas du Monde (each day another country displays its unique culture, identity and recent film work); Cinéma de la Plage (screenings of selected films for the mass public on Macé beach).

That is however still not all! Many events which do not involve the screening of films are also held. These include the Marché du Film, various Master Classes, Tributes and Exhibitions. I was pleased to see Marilyn Monroe honoured 50 years after her death as the icon of the 2012 Festival. Marilyn is still a major figure in world cinema and her story is an inspiration to me.

A very important part of the Festival de Cannes is the Marché du Film. This Film Market promotes the dual cultural and economic nature of cinema. Today, boasting in excess of 10,000 buyers and sellers and 4,000 films, it is the world’s leading market. It adds dynamism to the global film industry. The Marché facilitates networking and provides accredited professionals with the services and tools they need in order to exchange information; hold negotiations and uncover new opportunities.

Further events of importance are the Leçons de Cinéma (Cinema Masterclasses). Since the first Leçon de Cinéma (Cinema Masterclass) in 1991, by Francesco Rosi many other famous directors have taken their turn to talk about their artistic career and their views on film. Additionally the first Leçon de Musique (Music Masterclass) was given by Nicola Piovani in 2003 and the first Leçon d’Acteur (Acting Masterclass) was delivered by Max Von Sydow in 2004. Cannes is clearly not only a place to “see cinema” but also a place to “learn how to do it well”.

So what is it like to actually be on the red carpet? In a word – Exhilarating! I must admit that going to the Festival has been a long time dream of mine. The passion which the participants have for the “Seventh Art” brings people together in a very special, relaxed way. Where else could I have rubbed shoulders with P. Diddy, Brad Pitt, Heidi Klum, Janet Jackson and, of course, Chris Tucker, at a single event?. Where else could I show the latest creation by the portuguese stylist Micaela Oliveira, to such effect?

I also appreciated very much getting a chance to see “Killing Them Softly”, which was produced by, and which stars Brad Pitt. I really liked the character he played in this one!

Nota

O 65º Festival de Cannes: Uma visita á Passadeira Vermelha.

Os objectivos do Festival Internacional de Cinema, realizado anualmente em Cannes, são de descobrir novos talentos, de promover todo o tipo de cinema e, de desenvolver a colaboração entre cineastas. O Festival procura melhorar a indústria cinematográfica mundialmente e celebra o Cinema como uma forma de Arte.

O Festival de Cannes deve muito do seu formato corrente ao seu Presidente, Gilles Jacob. Ao longo do aos 50 o Festival tornou-se gradualmente mais popular devido a presença de celebridades tais como Kirk Douglas, Sophia Loren, Grace Kelly, Brigitte Bardot e Cary Grant.

Em 1978 Jacob tive a visão de usar esta tendência como uma forma de revolucionar o formato do Festival. Ao mesmo tempo ele introduziu dois componentes importantes: o premio Caméra d’Or e a secção Un Certain Regard. O Prémio Caméra d’Or é concedido ao “melhor primeiro filme”, um filme com qualidade suficiente para sugerir que o seu Realizador deverá ser encorajado a fazer um segundo. O Prix Un Certain Regard reconhece jovens talentos e trabalhos inovadores ou ousados. Em 1995 Jacob criou a Cinéfondation, para inspirar e apoiar a próxima geração de cineastas a nível internacional e, para facilitar a entrada de novos talentos em todas as áreas de produção cinematográfica.

2012 assinala a 65ª Edição do Festival Internacional de Cinema! Actualmente o Festival HOSTS o Cinema de mais de 40 países. Garante a cada uma oportunidade de mostrar a riqueza da sua produção cinematográfica. As actividades do Festival podem ser acompanhadas online em Francês, Inglês, Espanhol, Português, Chines, Japonês, Árabe e Russo.

Talvez a melhor forma de apreciar o “sabor” deste Festival e de compreender como funciona actualmente, é reconhecer que aborda muitos interesses e possui muitos “componentes autónomos”. O Festival de Cinema de Cannes preocupa-se com todos os aspectos da Sétima Arte: Cinema em plena competição, cinema em mera exposição, eventos que focam este ou aquele aspecto e, o Marché – o maior mercado cinematográfico do mundo.

Num típico Festival de Cannes encontrará mais de 60 filmes em competição. 20 filmes procuram obter o cobiçado Palme d’Or – a Palma de Ouro para o Melhor Filme do Festival, outros 20 competem pelo prémio Un Certain Regard. Acerca de 15 curtas e medias metragens serão selecionados de escolas de cinema de todo o mundo para inclusão na Cinéfondation. Aproximadamente. Há ainda o Palm Dog! Este premio independente é para a melhor representação canina (animal real ou animado), este ano foi dado a Banjo e Poppy pelo filme Sightseers.

Em paralelo com a projeção de todos os filmes em competição, há também projeções que não estão em competição, mas que possuem valor artístico. Aqui podemos visualizar Projeções Especiais, selecionados por um comité e exibidos num local apropriado para os conteúdos e identidade do filme em questão; Clássicos de Cannes (tributos e documentários sobre Cinema), Tous les Cinémas du Monde (cada dia outro pais exibe a sua cultura, identidade e recente trabalho cinematográfico); Cinéma de la Plage (projeção de filmes selecionados para o publico em geral, na praia de Macé).

E ainda não é tudo! Muitos eventos que não envolvem projeção, mas sim reflexão, são também realizados. Estes incluem o Marché du Filme, varias Master Classes, Tributos e Exibições. Gostei muito de ver Marilyn Monroe elogiada 50 anos apos a sua morte, sendo escolhida como o ícone de Cannes 2012. Marilyn ainda é uma figura de bastante relevo na história do cinema e a sua história é uma inspiração para mim.

Uma parte bastante importante do Festival de Cannes é o Marché du Filme – o Mercado do Cinema. Este Mercado promove o aspecto cultural e económico do Cinema. Actualmente a presença de mais que 10000 compradores e 4000 títulos fazem deste o maior mercado cinematográfico do mundo. O Mercado serve assim para dinamizar esta indústria a nível global. O Marché facilita o intercâmbio e providencia aos profissionais acreditados os serviços e ferramentas que necessitam para trocar informação, realizar negociações e descobrir novas oportunidades.

Outros eventos de importância são as Leçons de Cinéma (Master Classes de Cinema). Desde a primeira destas Master Classes, em 1991, a cargo de Francesco Rosi muitos outros realizadores tem falado sobre as suas carreiras artísticas e as suas opiniões sobre Cinema. Seguindo a já estabelecida visão de encarar Cinema em todos os seus aspectos, a primeira Leçon de Musique (Master Class de Music) foi realizada por Nicola Piovani em 2003. A primeira Leçon d’Acteur (Master Class de Representação) foi levada a cabo por Max Von Sydow em 2004. O Festival de Cannes não é apenas um lugar para “ver e falar sobre Cinema”, mas também um lugar para “aprender como fazer”.

Como é a sensação de pisar a passadeira vermelha de Cannes? Emocionante! Tenho de confessar que ir ao Festival é um sonho meu de longa data. A paixão obvia que os participantes têm pela Sétima Arte produz uma atmosfera bastante relaxada. Uma atmosfera que promove a aproximação. Em que outro sitio ou evento poderia encontrar P. Diddy, Brad Pitt, Heidi Klum, Janet Jackson e, claro, Chris Tucker? Onde poderia partilhar a mais recente criação da estilista portuguesa Micaela Oliveira, de igual forma? Gostei bastante de ver a ultima produção de Brad Pitt, “Killing Them Softly”. Achei a personagem que ele representou –Jackie Cogan– bastante intrigante!