Your browser (Internet Explorer 6) is out of date. It has known security flaws and may not display all features of this and other websites. Learn how to update your browser.
X

Posts tagged ‘banda desenhada’

Nota

Banda Desenhada e História: Desenhando os Contos do Passado.

Vimos como a Banda Desenhada pode ser usada para divulgar os conceitos de ciência. A história apresentada pode ser contada de uma forma exata e precisa. Os temas podem ser apresentados de forma simples, mas interessante. E no que diz respeito á História? Pode a Banda Desenhada retratar os eventos do passado da mesma maneira? Pode a Banda Desenhada mostrar estes eventos como histórias factuais e não apenas fictícias? É claro que pode!

Na minha opinião a História é um assunto bem adequado para ser apresentado em forma de Banda Desenhada. Imagine uma história que decorre na Roma Antiga. Uma Banda Desenhada pode retratar, numa única página, um local que necessitaria várias páginas de texto para sua descrição. Um único, bem desenhado, painel pode fornecer um cenário pictórico contra o qual os eventos da história irão desenrolar. Enquanto outras meios criativos, tais como o cinema, podem retratar a mesma história de formas mais dinâmicas, eles também são mais caros. Para descrever a mesma história de forma convincente num filme requer uma mistura bem-sucedida de cenário, talento dos atores e o ocasional efeito especial. Na Banda Desenhada essas preocupações são mínimas

Um bom exemplo da mistura certa entre diversão e facto veridico é o trabalho de Stan Sakai. Sakai baseia suas histórias de Banda Desenhada num Japão medieval. A sua criação mais conhecida, Usagi Yojimbo, que literalmente significa ” coelho guarda-costas “, é o herói de uma série de Banda Desenhada que se desenrola no Período Edo . O personagem principal (Usagi Miyamoto), é um coelho samurai sem mestre. É uma personagem vagamente baseada no famoso espadachim japonês Miyamoto Musashi. Usagi viaja pela terra, ocasionalmente vendendo seus serviços de guarda-costas (Yojimbo). Ao longo das histórias, há muitas referências ao folclore e à história japonesa. A representação da arquitetura, roupas, armas e outros objetos, é fiel ao estilo do período. Muitas histórias focam partes da cultura japonesa, ilustrando vários elementos de artes e ofícios japoneses, tais como a confeção de pagagaios, espadas e cerâmica.

Embora um livro de Banda Desenhada nunca pode ser um manual escolar, Usagi Yojimbo é recomendado como material suplementar de leitura em muitas escolas. Como resultado, a série foi muito bem recebida e ganhou inúmeros prêmios, incluindo:

  • 1990 Prêmio Parent´s Choice (Escolha dos Pais) pelo seu valor educacional
  • 1996 Eisner Award “Best Letterer” (Groo e Usagi Yojimbo)
  • 1996 Eisner Award “Talento Merecedor de Maior Reconhecimento” (Usagi Yojimbo)
  • 1999 Eisner Award “Melhor História serializada” (Usagi Yojimbo “Grasscutter”)
  • 2012 Eisner Award “Melhor Lettering” (Usagi Yojimbo)

Continuando no mesmo período histórico, outro trabalho de Stan Sakai que merece destaque é 47 Ronin. Aqui Sakai reconta uma das mais importantes histórias nacionais do Japão. 47 Ronin é baseado num conto historicamente exato de guerreiros que esperaram dois anos para vingar a morte trágica de seu mestre. Após esta vingança tomaram suas próprias vidas para serem enterrados ao lado dele. A história resume o ideal daquilo que um samurai deve ser.

Alguma vez ouviu falar de uma Banda Desenhada com um correspondente guia para professores? Bentley Boyd criou Chester Comix para incentivar o hábito de leitura em jovens rapazes. E também para contar histórias historicamente precisas. Boyd estudou História e Literatura na Universidade de Harvard, e ele usa ambas estas disciplinas na construção das suas histórias de Banda Desenhada. Cada livro é historicamente correto e amplia a capacidade das crianças de ler, colocando novo vocabulário dentro a história. Os guias do professor mostram então como introduzir as histórias de Banda Desenhada e, como introduzir o vocabulário associado. O guia também oferece sugestões aos professores: para estudos da palavra, instruções de escrita e outras atividades.

Que história do passado você mais gostaria de ver transformado numa história de Banda Desenhada? Deixe-me um comentário!