Your browser (Internet Explorer 6) is out of date. It has known security flaws and may not display all features of this and other websites. Learn how to update your browser.
X

Posts tagged ‘culturas e costumes’

Aparte

Semba, Kizomba & Capoeira: Cultura e Costumes de Angola (Parte 4)

Como referi anteriormente semba é provavelmente a mais popular das danças Angolanas. Mas há outras que também merecem ser mencionadas. Esta semana vamos dar uma espreitadela mais profunda sobre semba, kizomba, Capoeira de Angola e o Carnaval de Luanda.

Semba

Semba é uma dança com um ritmo elevado, que deriva o seu nome de “Masemba”, uma palavra que significa “um toque das barrigas”, o movimento que caracteriza este tipo de dança. Semba originou no século XVII nas áreas costeiras de Angola perto de Luanda e Benguela. Era uma dança que celebrava eventos especiais, como nascimentos, casamentos e boas colheitas, porque era capaz de transmitir uma amplitude de emoções. Antes da chegada dos Portugueses semba fazia parte da religião tradicional. Esta dança acompanhava o culto da deusa Kianda, em honra da qual comida, vestuário e outras oferendas eram atiradas ao mar.

Muitos Angolanos defendem que semba pode ter dado à luz a Samba, a música nacional do Brasil. O comércio transatlântico de escravos do século XVII forçou a relocalização de inúmeros africanos escravizados, que levaram consigo algumas de suas tradições culturais.

Semba é muitas vezes acompanhada por música tocada com instrumentos tradicionais Angolanos, como as tarolas e os dilongas. No entanto semba está longe de ser meramente uma tradição arcaica. Semba mantém-se ligado aos tempos contemporâneos através dos esforços de inovadores, como DiaKiemuezo e Bonga, que se esforçam para popularizar esta música e dança internacionalmente.

Outros jovens artistas e grupos, estão trabalhando junto com músicos veteranos para recuperar a popularidade do antigo estilo semba. Uma popularidade que tinha começado a diminuir um pouco. Exemplos de músicos que seguem esta rota são Flores e Maravilha, uma banda formada no início de 1990. Eles merecem todos ser ouvidos.

 Kizomba e Tarachinha

Kizomba e tarachinha são semelhantes ao semba, mas são mais íntimos, sensuais, e mais lentos do que o semba.
As origens de kizomba não são claras. Alguns defendem que é de origem angolana, com influências de outros países lusófonos. Outros sustentam que ela originou em Cabo Verde. Qualquer que sejam suas origens, o que não pode ser debatido é que kizomba é conhecida, e dançada, ao longo de toda a África Lusófona, bem como em o próprio Portugal. De facto, kizomba é geralmente cantado em Português, com ritmos africanos. Músicos angolanos que tocam kizomba incluem Flores, Paim, Murras, Irmãos Verdades, e Don Kikas.

Tarachinha é uma dança ainda mais sedutora do que kizomba. Enquanto kizomba é normalmente dançada com o parceiro em terno abraço, na tarachinha os parceiros de dança encontram-se trancados num abraço apertado e sensual. Dançam de forma muito lenta, quase sem se mexerem.

Capoeira

Ao longo da história de Angola, devido ao comércio de escravos dos séculos 16 e 17, houve intercâmbios constantes na cultura e costumes entre Angola e Brasil. Um exemplo deste tipo de troca é o mbulumbumba. O mbulumbumba é um instrumento curvo, que é indígena á África Austral, mas é mais conhecido pelo seu nome brasileiro, berimbau. O berimbau é tocado com um pau (baqueta) segurado na mão direita, este bate no fio do arco (arame) e o som resultante é controlado pressionando a cabaça direção (ou para longe de) do abdômen.

O berimbau é parte integrante da prática da Capoeira de Angola, uma arte marcial e forma dança acrobática que é uma tradição popular brasileira nacional. Enquanto Capoeira de Angola é mais identificada com o Brasil do que com Angola, as suas raízes são Africanas. Há mesmo quem diga que a capoeira era praticada em Angola durante o período pré-colonial e que foi proibido pelos colonialistas portugueses. No Brasil a Capoeira era uma forma pela qual os africanos escravizados confrontavam a escravidão. Na sua forma original, o aspecto marcial da Capoeira era sutil e disfarçado, escondido “debaixo” da dança acrobática. Escondido bem á vista!

Carnaval

Algo que definitivamente não é escondido, ou subtil, é o desfile Mardi Gras de Luanda. Este desfile é um dos mais importantes eventos culturais de Angola. O Carnaval Mardi Gras foi herdado do Português, com a infusão de grande parte da cultura Africana através de roupas e música. Este carnaval de três dias atrai um público muito grande. Ele apresenta um desfile de grupos carnavalescos (grupos carnavalescos), oriundos de Luanda e os seus bairros, todos coloridamente vestidos, com máscaras e toucas decorados. Todos esses grupos competem por prêmios em função da qualidade de sua dança e música.

Se quer saber mais sobre dança Angolana o Carnaval é um bom lugar para começar!

Aparte

O Sabor da Cozinha Angolana: Cultura e Costumes de Angola (Parte 3)

Já consideramos quais “lugares a visitar”, e as “coisas a fazer e ver” em Angola. Agora podemos falar um pouco sobre “o que comer”!

No século 16, navegadores portugueses circum-navegaram o mundo e introduziu produtos alimentares e uma variedade de culturas culinárias em todos os cantos da terra. Portugal e suas ex-colônias influenciaram-se mutuamente nas suas tradições culinárias, resultando em pratos que continham elementos asiáticos, da América do Sul, Africanos. Bem como especiarias europeias, e ingredientes variados como pimenta piripiri, leite de coco, coentro, mandioca, banana, peixe seco, peixe, marisco e carnes. Isso explica, em parte, o vasto leque de estilos de cozinha e sabores dos alimentos encontrados na cozinha angolana.

A Comida caseira é uma tradição forte entre os angolanos. Os ingredientes são normalmente obtidos a partir de um ou mais dos muitos mercados presentes em quase todas as cidades. Estes oferecem tudo que é preciso para cozinhar em casa. Embora existam grandes supermercados nos modernos centros urbanos, onde alimentos congelados, vinhos importados, e produtos semelhantes podem ser adquiridos, estes são mais populares entre as populações estrangeiras.
Os alimentos básicos utilizados na Cozinha Angolana incluem farinha, feijão, arroz com carne, peixe, frango e diferentes tipos de molhos. As hortaliças são um importante componente da dieta de Angola. Folhas de batata-doce, tomate, cebola, quiabo acompanhada outros pratos ou são ingredientes na sua preparação. A comida Angola é normalmente temperada com diferentes tipos de especiarias, resultando em um tipo de cozinha que é muito saboroso e tem sabor excelente.

Locais onde comer:
Muitos angolanos, principalmente nas áreas urbanas, gostam de desfrutar os seus momentos de lazer em restaurantes. É fácil encontrar inúmeros pequenos restaurantes locais que servem pratos tradicionais exclusivamente angolanos. Existem também alguns restaurantes de qualidade elevada, principalmente nas grandes cidades, que especializam em cozinha internacional, incluindo Portuguesa, Espanhol, Italiana, Sueca e Brasileira. Em Luanda, alguns dos restaurantes deste estão localizados na Ilha do Cabo.

Está procurando comida étnica? Para Cozinha Chinesa pode experimentar Chez Wou. Localizado numa das áreas mais movimentadas de Luanda, Chez Wou responde rotineiramente às necessidades de muitos viajantes em negócio. Procurando Cozinha Vietnamita? Pode fazer uma visita ao Restaurante Tam 8. Existem também outros restaurantes especializados em determinados alimentos, como Fish Paradiso, um restaurante de frutos do mar. Os melhores restaurantes de Luanda, tais como Afrodisiakus, Clube de Empresários, e Farol Velho, são bem equipados e têm espaços interiores e exteriores. Restaurantes como a Pizzaria Napoles Bela oferecem serviço de comida takeaway. Outros oferecem buffets de almoço. A maioria dos restaurantes abre diariamente para almoço e jantar, mas esteja ciente de que alguns fecham aos domingos.

Pratos típicos de Angola:
Já escolheu um restaurante? Procurando algo tipicamente Angolano para comer? Experimente um dos seguintes pratos!
Calulu, que é feito de peixe seco ou fresco, acompanhado de folhas de batata-doce e quiabo cortado. Este prato pode ser servido com feijão de óleo de palma ou funge, um popular pudim de farinha de milho.

Mufete de Cacuso, feito com tilápia grelhada. Este também é servido com feijão de óleo de palma e mandioca cozida.

Muamba, um prato de frango temperado com pimenta e alho frequentemente servido com feijão de óleo de palma ou funge (pudim de farinha mandioca).

Bebidas:
Se tem um espirito aventureiro, experimente algumas bebidas fabricadas localmente, tais como cerveja de milho, vinho de palmeira (maluvu), e bebida de farinha de milho- (kissangua ou ocissangua), ou caxi, que é destilado a partir da mandioca e casca de batata.

Procurando uma “cerveja angolana”?

Tente Mangozo. “Mongozo” significa Viva! “Na língua Chokwe, e reflecte o espírito festivo da cerveja. Mongozo oferece cervejas com bases tradicionais, bem como receitas modernas, em cinco sabores: Manga, Banana, Coco, Quinoa, Semente de Palmeira. Mongozo também produz Fairtrade, uma pilsner única, feita de ingredientes orgânicos e sem glúten.

Não fique surpreendido se entra num bar ou mesmo num restaurante moderno e ver alguém a beber Mongozo a partir de uma cabaça. Na sociedade tradicional, as bebidas alcoólicas como Mongozo, são consumidos em cabaças. Defendem que uma cabaça preserva melhor o sabor autêntico, o aroma e a frescura de uma cerveja. Apesar de copos de vidro serem disponíveis, muitas pessoas preferem usar uma cabaça.

Quer explorar cozinha angolana ainda mais? Veja os seguintes livros sobre o assunto.
Diga-me qual a receita de que gostou mais!
Cherie Hamilton, Cuisines of Portuguese Encounters;
Jessica B. Harris, The Africa Cookbook;
Tami Hultman, The Africa News Cookbook; e
Dorinda Hafner, A Taste of Africa.

Aparte

Cultura e Costumes de Angola: 1ª Parte – Uma Introdução

África é enorme. Sendo o segundo maior continente, é quatro vezes o tamanho dos Estados Unidos (excluindo) o Alasca. Angola, por sua vez, também é grande, sendo a sétimo maior pais em África. Com cerca de duas vezes o tamanho do estado do Texas, tem uma expansão de mais que 481,354 milhas quadradas, espalhadas por planícies costeiras, colinas e montanhas e, o grande planalto. Angola é o lar de cerca de 100 etno – linguísticos grupos. Os mais proeminentes destes grupos são os Ovimbundu, os Mbundu, Bakongo, o Nganguela (Ganguela), e os Lunda-Côkwe. De um caldeirão tao grande, e de tantas influências, é natural esperar muita diversidade na cultura. Angola não decepcioná!

Venha comigo enquanto partilho a minha “guia não-oficial” da Cultura e Costumes de Angola. Em cada secção vou lidar com um aspecto distinto da Cultura de Angola: Arte, Literatura, Cozinha, Religião, Costumes e Música.

Para começar uma exploração da Cultura e os Costumes de Angola não necessitamos ir mais longe do que Luanda, a maior cidade, e principal centro social e cultural, de Angola.

A dança sensual, Semba, nasceu aqui. Semba derivou o seu nome de “Masemba”, que significa “um toque das barrigas”, um movimento que caracteriza este tipo de dança. Música Semba consegue transmitir um amplo espectro de emoções e, portanto, está presente numa grande variedade de acontecimentos sociais angolanos.

No final dos anos 80 os produtores começaram a misturar a música de carnaval tradicional como zouk e soca do Caribe, e semba em torno de uma batida rápida, produzindo o estilo “Kuduro“. Um exemplo muito popular deste estilo de música é o popular vídeo de música “Danza Kuduro“, (de Lucenzo e Don Omar), disponível no YouTube. Este já tem mais de 300 milhões de visualizações! Talvez também já viu?

A importância cultural de Luanda não se resume á com a música. Tem muito, muito mais para oferecer! Os visitantes podem ver impressionantes coleções de arte africana, especialmente as máscaras e esculturas Côkwe. Para mim, as máscaras Côkwe são particularmente interessantes. Elas simbolizam várias crenças ancestrais e foram usados durante os ritos de passagem circuncisões, fertilidade e os ritos da puberdade. A Arte Côkwe é muito apreciada em muitos países ocidentais. É frequentemente encontrada em exposição nos museus, e galerias de arte, mais importantes da Europa, Estados Unidos e Japão. Em Luanda tais peças podem ser vistos na Galeria Humbi-Humbi e no Museu Nacional de Antropologia.

Outras galerias da cidade são a Galeria Cenarius; o Espelho da Moda, e a Galeria SOSO-Arte Contemporânea. Existindo desde a era colonial, o Museu do Dundo, na província da Lunda do Norte, abriga uma das melhores colecções de Arte Chokwe do mundo. Mais museus contemporâneos localizados em Luanda incluem o Museu de Angola, o Centro Cultural Português, o Museu Nacional de História Natural, e o Museu Militar (alojado num histórico fortaleza). Outro museu popular, que não trata especificamente da arte, é o Museu da Escravatura. Este museu está supostamente localizada no local onde eram mantidos cativos os africanos antes de serem enviados para Novo Mundo! O museu preserva a infeliz história do tráfico atlântico de escravos na costa angolana.

Em Janeiro de 2005, o Ministro da Cultura, Boaventura Cardoso, pediu atenção especial para a restauração dos monumentos e locais históricos de Angola. Isso irá garantir que a cultura e costumes de Angola, não vão ser esquecidos.

Na 2ª Parte vou mergulhar mais profundamente na Arte e Arquitetura Angolana, focando principalmente a influências Côkwe. Posso contar consigo?